Rapousa (rapousa) wrote,
Rapousa
rapousa

Bernard Cornwell é foda

Cara.... eu precisava postar isso em algum lugar. Mas para não ser um post muito "interno", breves explicações:

Tô lendo o último livro da trilogia das Crônicas Saxônicas, e eu amo o autor (Bernard Cornwell) e não posso me evitar querendo quotar algumas partes do livro, então, aproveito aqui e dou a vocês um vislumbre do melhor autor que já tive o prazer de conhecer o trabalho:



"Lembro-me de ter tido febre e pensar que iria morrer. Até quis morrer, mas Finan me xingou baixinho.
- Você é um saxão molenga - provocou. - É fraco. É patético, seu lixo saxão. - Grunhi alguma resposta e ele rosnou de novo para mim, desta vez mais alto, de modo que Hakka, na proa, escutou. - Eles querem que você morra, seu desgraçado, então prove que estão errados. Reme, seu desgraçado saxão molenga, reme. - Hakka bateu nele por ter falado. Em outra ocasião fiz o mesmo por Finan. Lembro-me de aninhá-lo nos braços e enfiar mingau em sua boca com os dedos.
- Viva seu desgraçado - disse eu -, não deixe esses earslings nos vencerem. Viva!
Ele viveu."
(pg. 166 - Uhtred está vivendo como escravo após ter sido vendido por seu amigo em nome de uma aliança com o tio que o queria morto)

"- Somos guerreiros, você e eu, somos guerreiros! - Eu fora um guerreiro, pensei. Houvera um tempo em que brilhava com malha e elmo, mas agora estava cheio de piolhos, imundo, fraco e choroso. - Aqui - disse Finan, e pôs algo na minha mão. Era um dos pentes de chifre que havíamos transportado como carga, que de algum modo ele conseguira roubar e esconder em seus trapos. - Nunca desista - disse ele, e eu usei o pente para desemaranhar meu cabelo que agora batia quase na cintura. (...) Finan trançou meu cabelo liso e eu fiz o mesmo por ele. - É assim que os guerreiros deixam os cabelos na minha tribo - explicou. - E você e eu somos guerreiros. Não somos escravos, somos guerreiros! - Estávamos magros, sujos e maltrapilhos, mas o desespero havia passado como uma tempestade no mar e eu senti a raiva me dando decisão. (pg. 169)

"Chorei porque estava livre e porque o rosto largo, marcado, maligno de Steapa era a coisa mais linda que eu já vira desde que estava nesta praia." (pg 188 - Quando Uhtred encontra seus amigos ao ser liberto da escravidão)

"O guerreiro que se aproximava tirou o elmo alado e mal pude ver seu rosto por causa das lágrimas. Mas mesmo assim gritei seu nome.
- Ragnar! - gritei. - Ragnar!
Ele estava rindo quando nos encontramos. Abraçou-me, girou-me no ar, me abraçou pela segunda vez e depois me empurrou.
- Você está fedendo - disse ele -, você é o desgraçado mais feio, cabeludo e fedorento que já pus os olhos. Deveria jogá-lo para os caranguejos, mas, afinal, por que um bom caranguejo iria querer uma coisa tão repulsiva quanto você?
Eu estava rindo e chorando.
- Alfredo mandou você?
- Mandou, mas eu não teria vindo se soubesse do cagalhão imundo em que você se transformou. - Ragnar deu um sorriso largo e esse sorriso me fez lembrar de seu pai [Ragnar, o velho], todo feito de humor e força. Ele me abraçou de novo. - É bom ver você, Uhtred Ragnarson."
(pg. 191 - Uhtred reencontra seu "irmão de criação" assim que é liberto da escravidão graças ao mando de Alfredo, rei do Sul da "futura Inglaterra")

"- Uhtred - começou ele, mas não conseguiu encontrar mais nada para dizer.
- Você é uma bosta de doninha, é um earsling.
- Sou um rei - disse ele tentando recuperar a dignidade.
- Então é uma bosta de doninha real. Um earsling num trono."
(pg. 275 - Quando Uhtred reencontra o rei que fora seu amigo e que o vendera para a escravidão.)

"- Já tenho uma esposa - contei a ela naquela noite.
- Você é casado?
- O nome dela é Mildrith, e me casei com ela há muito tempo porque Alfredo ordenou, e ela me odeia, por isso entrou para um convento.
- Todas as suas mulheres fazem isso - disse Gisela. - Mildrith, Hild, eu.
- Verdade - concordei, achando divertido. Não havia pensado nisso antes."
(pg. 277 - Uhtred reencontra a mulher pela qual se apaixonou e não conseguiu parar de pensar, irmã do rei e amigo que o entregou como escravo)



Gente, eu sei que o Bernard Cornwell (autor do livro) é velho e..... bem, ele é velho :~ Mas eu quero me casar com ele >.< *sonhos desvairados de uma fã maluca*
Anywaym that's all x}
Tags: blog, off
Subscribe

  • Rapousa in Disneyland

    Sempre esqueço que há pessoas aqui no livejournal que não tem twitter, e como não uso o lj como blog (até pq tem coisas por aqui que não gostaria que…

  • Conversa insólita

    A rachelismo comentou no twitter sobre um tal site Omegle, é um site de chat, onde você não sabe com quem fala e nem quem fala sabe…

  • Filosofia

    Ora, muitos fazem a pergunta: afinal, para que Filosofia? É uma pergunta interessante. Não vemos nem ouvimos ninguém perguntar, por exemplo, para…

  • Post a new comment

    Error

    default userpic

    Your IP address will be recorded 

    When you submit the form an invisible reCAPTCHA check will be performed.
    You must follow the Privacy Policy and Google Terms of use.
  • 6 comments