?

Log in

No account? Create an account
Rapousa
11 April 2011 @ 12:11 pm
Um saco esse povo que fica falando de animal, né?

No entanto, como marinheira de primeira viagem, não consigo não falar do meu primeiro animal de estimação. Uma gatinha que adotei de um pessoal que estava oferecendo na rua.




Foi uma coisa meio instintiva. Não que tenha sido algo muito excepcional, eu sou super instintiva e faço muitas coisas apenas porque... sim. Anywam, com a gatinha em uma caixa, fui andando até em casa com ela colocando a cabeça para fora de cinco em cinco minutos. Primeira parada foi no Petshop para comprar, bem... tudo.

Ao chegar em casa quase dei um infarto na minha mãe.

Não sabia que nome dar a gatinha. Primeiro chamei-a de Ginny só pq ela tem manchas laranjas e olhos verdes lindos, que, claro, me lembraram de HP. Mas nem rolou. Daí pensei em Sookie, porque ela é tipo, a única personagem feminina de livros que eu verdadeiramente gosto e até que soa como nome de gato. Mas aí minha mãe veio com "Suquinho?" e eu meio que desisti da idéia.

Só que aí dois amigos da faculdade sugeriram McGonagall, a professora de Harry Potter que é uma gato animago. Só que, porra, McGonagall é um nome grande e complicado demais para chamar um gatinho. Daí falei, por que não Minerva? Até porque, posso chamá-la de Minnie e Minerva é também o símbolo da UFRJ (minha universidade). Pronto, ficou Minerva Vulpix. E decidi que todo o animal que eu tiver vai ter Vulpix como último nome.

Bom, no começotoda vez que ela me via, fugia. Acho que foi trauma da viagem na caixa que tive obrigá-la de fazer. Bom, mesmo assim, fiquei obrigando-a a ser segurada no braço e sempre que ela ficava quietinha eu dava um petisco. Brinquei bastante, fiz muito carinho, embora ela achasse que minha mãe fazia parte da minha brincadeira e quisesse mordê-la e arranhá-la.

Mas daí, terceiro dia chegou e ela, digna do nome que recebeu, já aprendeu que não pode subir na cama da minha mãe, carinho é bom e é a mim que ela deve paparicar se quiser alguma coisa. Sério, coisinha linda. Assim que acordei e fui para a sala, chamei por Minerva e ela surgiu de baixo da mesa e veio toda feliz me rodear, esperando por brincadeiras.

Claro que nem tudo são flores, acho que ela tem algo como bronquite, pq respira muito errado, e se a gente brinca demais tem uma hora que ela se joga no chão e prefira ficar lá estatelada só com as patinhas pro ar brincando. E daí que ela tb é meio muda. Quando a estava levando na caixa ela só miou um pouquinho. Mas quando está zangada e curva o corpo todo e abre a boa ameaçadora, não sai som nenhum. Eventualmente eu ouço alguma coisa meio engasgada, mas nada que pareça muito com um gato. Além disso a respiração dela é muito esquisita, como se fosse asmática mesmo. Só que tipo, nem sei como é respiração de gato né? Nunca tive um ou fiquei muito tempo perto de um para notar esses pequenos detalhes.



Sei que ela não gosta muito de ser tocada, mas estou mudando isso periodicamente. É um absurdo gato que não goste nem um pouco de receber um carinho.

Outra coisa, antes ela colocava a unha toda para fora, mas sempre que ela me arranhava eu parava de brincar, agora ela aprendeu a retrair as unhas quando brincando comigo. Claro que, se eu brincar muito ela acaba esquecendo, mas sempre que me dá unhada a brincadeira para. Incrível como aprende rápido. Quero só ver que tipo de gato adulto ela será, porque andei lendo por aí que você só sabe como o gato será de verdade quando ele entra na idade adulta.

Espero que ela não seja aqueles gatos que só ficam deitados o dia todo, mas tb espero que ela continue não sendo bardeneira :P

E vocês, têm bichinos de estimação que sejam seus de verdade? Porque aqui eu que sou 100% responsável por ela, minha mãe só se presta a deixá-la brincar com sua havaiana e a expulsá-la da cadeira quando ela quer sentar.

O fato é que estou apaixonada e até agora tudo tem ido bem!

E agora com vocês, uma demonstração de fofura:

 
 
Rapousa
17 December 2010 @ 11:08 am
Sempre esqueço que há pessoas aqui no livejournal que não tem twitter, e como não uso o lj como blog (até pq tem coisas por aqui que não gostaria que todo mundo achasse), criei um blog que servirá como diário de viagem aqui nos EUA:

http://rapousa.net/disneyland



Acessem :)


P.S.: Para quem não sabe, estou morando nos Estados Unidos e trabalhando na Disney. Mas só por três meses.
Tags:
 
 
Se Sentindo: goodgood
Ouvindo: Teenage Dream - Katie Perry
 
 
 
Rapousa
09 November 2010 @ 10:33 pm
A rachelismo comentou no twitter sobre um tal site Omegle, é um site de chat, onde você não sabe com quem fala e nem quem fala sabe quem é você. Meio que você é sorteado com alguém. Pois bem, isso é campo fértil para maníacos, papos só de sexo e esse tipo de putaria, certo?

Bom, era o que eu esperava, só que a minha primeira (e única) conversa nesse site foi simplesmente insólia:

Stranger: dont make me say it
You: ok, don't say
Stranger: alright
You: but i'll just do this if you don't make me say as well
Stranger: ok
You: deal
Stranger: explain to me what argon means to you
You: is a chemical element, why?
Stranger: no
Stranger: what does it mean to YOU
You: nothing particular, just something that sounds as aragorn
Stranger: ah
Stranger: your room is filled with argon
Stranger: feel the argon entering your lungs
You: omg, but I thought my lungs belongs just to oxigen and carbon.
You: so that makes my lungs are doing 3some right now?
You: don't sounds good


Quer dizer, sério, WTF? Amei <3
Tags: ,
 
 
Se Sentindo: lazylazy
Ouvindo: The World is Mine - David Guetta
 
 
Rapousa
04 October 2010 @ 05:19 pm
Originally posted by neo_prodigy at Spirit Day
 


It’s been decided. On October 20th, 2010, we will wear purple in honor of the 6 gay boys who committed suicide in recent weeks/months due to homophobic abuse in their homes at at their schools. Purple represents Spirit on the LGBTQ flag and that’s exactly what we’d like all of you to have with you: spirit. Please know that times will get better and that you will meet people who will love you and respect you for who you are, no matter your sexuality. Please wear purple on October 20th. Tell your friends, family, co-workers, neighbors and schools.

RIP Tyler Clementi, Seth Walsh (top)
RIP Justin Aaberg, Raymond Chase (middle)
RIP Asher Brown and Billy Lucas. (bottom)

REBLOG to spread a message of love, unity and peace.


 
 
 
Rapousa
29 September 2010 @ 12:59 am
Ora, muitos fazem a pergunta: afinal, para que Filosofia?

É uma pergunta interessante. Não vemos nem ouvimos ninguém perguntar, por exemplo, para que matemática ou física? Para que geografia ou geologia? Para que história ou sociologia? Para que biologia ou psicologia? Para que astronomia ou química? Para que pintura, literatura, música ou dança? Mas todo mundo acha muito natural perguntar: Para que Filosofia?

Convite à Filosofia - Marilena Chaui


Minha resposta à essa pergunta é bem simples: Porque todas essas outras coisas têm um propósito bem delimitado e óbvio. Seja para entender o funcionamento bio-físico do mundo ou para expressar esse mundo. Mas e a filosofia?

Se bem que eu confesso que já perguntei com muita naturalidade para que servia a química, várias matérias da matemática e a gramática. Porém, achei um questionamento de respostas meio óbvia, comparar filosofia com matérias de conteúdo óbvio, convenhamos...
 
 
Se Sentindo: crappycrappy
 
 
 
Rapousa
25 September 2010 @ 03:10 pm
Hoje foi dia de arrumar minha estante. Tava impossível aqui em casa, já tinha DUAS pilhas de livros se formando na mesa da sala sem contar a dor no coração que eu sentia de ver alguns livros postos empilhados em cima de outros na estante. Não vamos nem comentar a poeira...

Aproveitei a arrumação para colocar meus livros perto uns dos outros e ter uma noção da quantidade visual deles. De acordo com meu Skoob tenho 131, mas, nunca se sabe, acho que tenho um pouco mais e alguns não estão listados.


Minha ainda pequenina coleção que cresce saudável e exponencialmente a cada dia que passa <3

No entanto, esqueci que, além dos livros a olhos vistos, eu tinha mais duas caixas cheias guardadas pela casa. Porém, claro aí já dá para ter uma idéia.


Aqui estão os livros arrumadinhos na estante.

A última estante de baixo estava com livros da minha mãe que eu sumariamente expulsei dali (poque ela não lê e no geral eram livros de lista telefônica, guia quatro rodas e outras inutilidades). Já a estante do topo era ocupada por parte da minha coleção de mangá, o que me comia um espaço danado e deixava meus livros apenas com uma estante e meia. Agora, eles conseguem respirar e tem até espaço para as futuras aquisições! Infelizmente ainda tenho aquelas duas caixas com livros, felizmente são só os bobos ou os que eu não gosto muito =P

Para quem quer saber o que aconteceu com os mangás... Bem, eles foram encaixotados e guardados em cima do meu armário, porque né, desculpe, mas livros são mais importantes. Só DB e DBZ ainda estão na estante (atrás dos livros). Mais pelo tamanho da coleção, que não caberia na caixa com os outros...


Caixa cheia que pesa uma tonelada e quase derrubei quando fui colocar em cima do armário. Eita...


P.S.: Confesso que o tamanho da minha coleção me deprimiu um pouco, achava que era mais, só que ainda é tão pouco =/
 
 
Se Sentindo: accomplishedaccomplished
Ouvindo: Heartbeats - The Knife
 
 
 
Rapousa
18 September 2010 @ 08:20 am


Seis anos e (quase) nada mudou. Que venham mais seis!
Tags: ,
 
 
Se Sentindo: flirtyflirty
Ouvindo: Love of my life - Queen
 
 
Rapousa
13 September 2010 @ 05:56 pm
Ultimamente estou me superando na capacidade efetiva de consertar coisas de formas altamente não convencionais.

1 - Estava eu querendo loucamente escrever (fato que não me acontecia há MESES) e o irmão do Sumomo chegou em casa e quis o próprio computador. Tive que me mudar para o laptop velho, que estava com a tecla de espaço ruim. Imagine a merda que é estar em brainstorm e ter que ficar lembrando de clicar o espaço no meio se não não funciona. Impossível. Estudei o que estava causando o defeito do laptop e, com papel higiênico e fita durex, consertei o problema. Sério.

2 - Há milhares de anos que a alça do relógio que prende o pedaço da pulseira quebrou, até aí, beleza, posso sobreviver. Só que isso acabou desenbocando na pulseira do meu relógio começar a rachar. Estou num terrível mês sem grana e se for comprar um relógio tem que ser AQUELE que sempre quis mas nunca comprei por falta de necessidade eminente e de dinheiro. Só que esse mês tá foda, então, nada de comprar um novo relógio agora. O que fiz? Grampeei a pulseira do meu relógio. Simples assim. E deu certo!


Acho que vou fazer como sugeriu a alis_clow e mudar meu nome para MacGyverapousa. Cabível, não acham?
E vocês, alguma história para compartilhar de MacGyverzisse?




Para quem não conhece o ilustríssimo sr. MacGyver:


+ informações por aqui
 
 
Ouvindo: Wonderful World - HURTS
 
 
 
Rapousa
24 August 2010 @ 03:26 pm
Não sei se em todas as cidade há um Subway, porém pelo que pesquisei, todos (ou deveriam ser todos) os Subway estão com uma promoção maravilhosa:

A coisa é muito simples para quem não conhece o sistema desse restaurante fastfood: você escolhe o pão que quer, o recheio (que são esses aí da promoção mais alguns), os legumes e até dois molhos. Isso sem contar algumas outras coisas que você pode colocar pagando um preço a mais (tipo bacon, mussarela de búfula, tomate seco etc.). Ou seja, são sanduíches baseados na customização. Pois então, daí que o preço de um sanduíche normal é de R$7,20 a uns R$8,50 aqui no Rio dependendo do sabor que escolher, e essa promoção faz o recheio do dia sair por R$5,95. Muito bom, não é?

Só que o problema é que eu sou vegetariana. Sabe o que o meu sanduíche se diferencia de todos esses outros? Ele não tem carne. E só isso. Só mesmo. Peço todo o resto menos a carne e tenho que pagar R$1,25 a mais por isso. Quer dizer, aonde que isso é justo?

Revoltado com essa incoerência sem tamanho, o Nighto resolveu começar a fazer seus pedidos dessa forma:

- Me vê uma promoção do dia sem a carne.

E sabe o que é engraçado? Algumas atendentes ficaram do lado dele e entenderam a lógica, porém, outras, acharam que não poderia ser e que ele deveria pagar mais caro porque na verdade o sanduíche era vegetariano. Ele argumentou dizendo que estava economizando para a casa, já que ao não pedir a carne, eles lucrariam no valor da promoção e por fim, as atendentes foram razoáveis e ele saiu com seu sanduíche de presunto sem presunto.

Só que infelizmente não tive a mesma sorte na última vez que resolvi ir ao Subway, as atendentes não foram tão racionais e me obrigaram a tomar uma medida absolutamente desnecessária que preferia não ter tomado.

Pedi meu sanduíche da promoção do dia sem a carne. Novamente, algumas atendentes entenderam a lógica da parada e perceberam que no fim o Subway continuaria lucrando (e não é como se, caso ele lucrasse mais, elas fossem lucrar juntas), porém, tanto a caixa quanto a gerente não quiseram me dar ouvidos. A cena que se seguiu foi mais ou menos assim:

- Ok então, pode colocar a carne.

A atendente com ar confuso, vai até a carne do dia, a coloca no sanduíche, fecha, me entrega, a caixa computa uma promoção do dia. Abro o sanduíche ainda na frente dela, retiro a carne que acabou de ser posta, deposito sobre a badeija vazia ao lado e pago meu pedido.


SIM, EU DESPERDICEI CARNE A TOA. AGORA ME PERGUNTA SE FAZ SENTIDO?


O fato é, a lógica do Subway é imbecil, eles simplesmente me obrigaram a pegar algo que eu não queria, jogar fora e então pagar mais barato do que ter pedido já sem aquela coisa. E a idéia de customizar seu pedido que se foda, né? Eles te obrigam a ter o que você não quer. Ao invés de ter carne jogada no lixo eles teriam carne a mais para um próximo sanduíche e isso seria um lucro maior! Pelos deuses, vão ser idiotas e irracionais assim em outro lugar!

Agora, de uma coisa você pode ter certeza, vou repetir a mesma manobra em todos os Subways que eu for daqui pra frente. Até eles acabarem com a promoção ou deixarem de ser idiotas. Sugiro que, caso você seja vegetariano (ou simplesmente não queira carne naquele dia) e aprecie a comida de lá tanto quanto eu, faça o mesmo. É seu direito e você estará com a razão, além de fazer um favor a eles apontando a irracionalidade de suas táticas de venda.
 
 
Se Sentindo: enragedenraged
Ouvindo: Loser - Beck
 
 
Rapousa
09 August 2010 @ 01:33 pm
Li os livros que inspiraram True Blood muito antes do seriado (na verdade, comecei a ver o seriado depois de ficar histérica ao descobrir que haviam feito uma adaptação dos livros) e comecei a acompanhá-lo ainda nos primeiros capítulos da primeira temporada. O fato é que já sabia que tanto os livros como o seriado prometiam muito. Charlaine Harris, autora dos livros, mostrou desde o princípio que não tinha pudor nem medo de explorar temas um pouco mais polêmicos, e o pessoal do seriado pareceu desde o princípio bem aberto a isso, indo até além.

No entanto, tenho que confessar que jamais terminei o segundo livro da série e por tanto não proseegui pela segunda temporada. Já me falaram que o livro é o mais chatinho, porém, o que mais atrapalhou mesmo a leitura foi o surgimento de outras leituras mais importantes por esse ou aquele motivo. Anyway, o fato é, não sei como as coisas seguem em True Blood (ou nos livros) além de envetuais spoilers. O que sei que é nada termina como começa e há algumas reviravoltas. E uma coisa que eu não estava esperando nem aqui nem na China é que uma cena assim fosse acontecer (mesmo que em um sonho):



Para quem não sabe, esses dois personagens eram, no começo, os dois "disputadores" do amor da mocinha. Quer dizer...

E um fato interessante que devo ressaltar: apesar de adorar inventar par gay em tudo o que é mídia, os livros da Charlaine Harris foram uns dos poucos nos quais eu estava feliz com o casal principal e jamais fiquei shippando personagens do mesmo sexo. Sabe por que? Porque não precisa! Caramba, só agir com naturalidade e tá tudo certo. Até uma conhecida minha meio homofobica (com motivos, pois dois ex-namorados dela ficaram na porta do colégio dela e um deles ela realmente amava) curte True Blood e fala que é a coisa mais sexy que ela já leu/assistiu.

Outro ponto, True Blood é altamente erótico sem perder o nível. Na minha opinião toda a literatura, filmes e seriados deveriam ser assim. Quer dizer, por que todo esse moralismo? Pessoas fazem sexo, caramba! Parem de focar na lareira. Para quem curte mais erotismo hétero, aí vai um exemplo (cuidado, ele é bem mais explícito):

 
 
Se Sentindo: excitedexcited
Ouvindo: Michael - Franz Ferdinand